quarta-feira, 18 de abril de 2012

Continuar e continuar




Durante as filmagens de Titanic:

- MOÇA! Ô DONA, O QUE ESTÁ FAZENDO? NÃO SE JOGA, NÃO!

- PARA TRÁS! NÃO SE APROXIME!

- Olha, dona, calma aí! Está certo que seu tivesse de usar essa roupa aí eu também teria vontade de me jogar lá embaixo, mas...

- VOCÊ NÃO SABE DO QUE EU ESTOU FALANDO NEM O QUE ESTOU PASSANDO!

- Então porque você não cessa a gritaria, respira um pouco e pensa melhor a respeito, moça?

- Pensar? Usando esses espartilhos apertados? Do jeito que essas coisas reduzem a circulação do sangue, ou pensamos, ou respiramos. As duas coisas ao mesmo tempo não dá, não! Eu sou vigiada o tempo inteiro e tenho de aprender todas as regras de boas maneiras, sabia? Só para lhe dar um exemplo, sabe quantos tipos diferentes de garfo pra escargot existem?

- Hmmm... Não.

- EU TAMBÉM NÃO! É IMPOSSÍVEL APRENDER ISSO! É MUITA PRESSÃO, SABIA?

- Ah, tá certo. Mas o que eu sei sobre pressão, não é mesmo? Eu sou só um pobre rapaz irlandês que tem de revezar o local de dormir toda noite com uma família de ratazanas e uma aranha perneta. A propósito, meu nome é Jack Dawson.

- Meu nome é Rose DeWitt Bukater, da Filadélfia e...

- Ah, você é americana? É verdade que vocês matam moscas a tiro?

- Ora, mas que absurdo! É lógico que não!

- Ah, bom...

- Só matamos ratos e baratas dessa forma. Matar moscas assim causa muitos estragos no teto e é um tanto 
anti-econômico...

O noivo de Kate, Caledon, entra correndo e segura Jack pelo braço.  

- KATE! Quem é você? Saia de perto dela!

- NÃO TOCA EM MIM, ALMOFADINHA! SAI!

Jack empurra Caledon, que tropeça nos próprios pés e cai do cenário, se estatelando no chão.

- AAAHHHHHH!

- Porque você o derrubou, Jack?

- É que ele tocou no meu casaco Rose, e ele está na minha família a quatro gerações.

- Ah, entendi, tem valor sentimental.

- Também, Kate, mas é que se alguém tocar ele pode se desfazer.

- CORTA! Mas o que foi isso? Como que o ator foi cair desse jeito, hein?

- Não foi ator, não, senhor Cameron, foi o Billy Zane.

- Ô Kate, o que é isso? Não fala mal do cara. Só porque ele fez aquele filme horroroso do Fantasma não precisa...

- Melhor “O Fantasma” do que... Hi, hi... “Criaturas 3”...

- Aaahhhh! Por favor, seu Cameron! Vamos parar com isso, hein? Vocês tinham prometido! E eu só tinha 17 anos...

- Juventude não é desculpa, rapaz. E pense no lado bom, se não fosse por aquele... Aham... Filme... Talvez você não estivesse aqui agora, não é?  E de qualquer forma, temos de regravar mesmo porque eu li aqui nesta revista um artigo onde aparece o termo “politicamente correto”, que...

- Estava lendo enquanto dirigia a cena, senhor Cameron?

- OLHA AQUI JOVENZINHO, EU CONSEGUI FAZER O SCHWARZENEGER ATUAR E DIRIGIR MOTO AO MESMO TEMPO E GANHEI MILHÕES COM ALIENS ANIMATRÔNICOS! NÃO VEM QUERER ME ENSINAR ALGO SOBRE...

- Ok, ok, sem estresse, senhor.

- Hmf! É bom não me questionarem, sim?  Eu atuo sob as ordens de uma Autoridade Maior.

- Deus?

- Sim?

- Não o senhor, seu Cameron, o outro Deus?

- Não, rapaz, na verdade eu me refiro aos produtores do filme.

- Entendi. Mas o que o senhor quis dizer com “politicamente correto”?

- Este termo, Leonardo, se refere a não podermos ofender uma pessoa baseando-se em suposições preconceituosas. Por exemplo: eu não poso dizer “judeu pão duro” que vou ofender a todos os judeus, entende?

- Aaahhh... Até aqueles tão pão duros que reciclam até a própria fumaça do cigarro?

- Sim rapaz, até esses. Na revista diz que este será um termo que se popularizará em breve e não podemos correr o risco de sermos processados. Então teremos de reescrever o roteiro e...

- Ô gente, eu ainda to aqui embaixo e minha perna direita tá num formato estranho, parecendo a boca do Silvester Stalone em “Cobra”...

- Ah, eu tinha me esquecido do Billy... Pare de reclamar, homem, isso aí não é nada perto de se ouvir My Heart Will Go On todos os dias... E essa agora, não dá para substituí-lo...

- O senhor não poderia... Sei lá... Recriar o Billy em imagem digital e colar essa imagem em outro ator, digo, pessoa? É o Billy Zane, ninguém iria notar, mesmo...

- Substituir atores por imagens digitais? Mas que ótima ideia esta que eu tive, não? Hmmm... No futuro, talvez.

- Err... Se o senhor diz... Mas isso não ficaria meio falso, não, seu Cameron?

- Ora, o que é isso, rapaz? O objetivo do cinema é criar histórias divertidas! Muitos diretores passam a vida inteira fazendo filmes chatos para tentarem descobrir o sentido da vida, daí depois de velhos descobrem que o sentido dela é viver, e aí, quando se dão de conta que desperdiçaram sua vida nisso, sabe o que eles fazem?

- Não, senhor, o quê?

- Filmes mais chatos ainda!

31 comentários:

  1. Muito legal, principalmente a forma com que você vai expondo sua opinião sobre outros filmes e atores...

    Só discordo da opinião do personagem de que o objetivo do cinema é criar histórias divertidas... este é o objetivo dos produtores! rsrsrs

    ResponderExcluir
  2. Hummmm... Que coisa interessante essa de os diretores descobrirem o sentido da vida: VIVERRRRRRRRRRRRR! kkkkkkkkkkkkkk Adorei o diálogo que foi traçado entre mocinha, mocinho, corninho e diretor!
    Jacques, você tem imaginação heim menino?? Eu estava pensando... Esses dias fui fazer uma ressonancia no ombro e senti-me com um espartilho apertado como o da Rose. E a técnica em radiologia me dizia: respira suavemente pra nao mexer o ombro. Mexer o ombro? Eu nao conseguia nem respirar pouco e nem muito, quase morri asfixiada dentro daquele tubo barulhento. Eu entendo a Rose(kate) e deu vontade de parar de respirar como meio de protesto, so não fiz por medo de morrer...
    Gosteeeeeeeeeeei!
    Bjks doces

    ResponderExcluir
  3. Oi Jac,

    Tudo bem? Fui uma tiete do DiCaprio por um longo período e agora o vejo como um tampinha. Bem, esse filme foi o ápice do sonho de toda mocinha, mas que hoje até entendo o bem chatinho. Tive vontade de ir ver em 3D, mas mudei de ideia com essa exatidão de melodramas que você mostrou.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  4. Novamente me divirto a valer com os diálogos criados por você, que fariam imenso sucesso no tal filme, em substituição ao original maçante e sem graça. rsss ...Pode até ser que eu exagero um pouco, mas pelo menos prestei atenção ao texto, ao passo que ao diálogo do filme...nem tanto!

    Obrigada pela visita, hein...A d o r e i !!

    Beijinhos da Lu...

    ResponderExcluir
  5. Amigo Jacques,
    Você, deveras, tem talento de transformar tragédia em comédia (e das boas).
    Sua publicação é bem oportuna com o momento.
    Admiro também seu vasto conhecimento na "Sétima Arte".
    Ver a vida a partir dos bastidores é mesmo cômico.
    Onde houver pessoas, há conflitos, egoísmos e sobretudo, humor.
    Ah, sua gramática também é admirável.

    Texto magnífico!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Jacques, eu me divirto com os filmes divertidos, e com os chatos também.

    ResponderExcluir
  7. Jacques!
    Xiiii... até o Cameron entrou na jogada...
    Como sempre, muito criativo e desta vez com mais personagens no diálogo, ou seria um triálogo? rsrs
    Quanto a questão do cinema, gosto muito e nunca me tive problemas com o cinema comercial norte-americano, assisto e curto. Pareceu-me em teu texto uma crítica também aos produtores, ou estou enganada?
    Abração, amigo!

    ResponderExcluir
  8. Ola Jacques,
    Rapaz rolei de rir aqui quando ela disse "sabe quantos garfos existem para comer escargots".... Ficou muito interessante, fluiu tudo muito naturalmente. Mas como a amiga Ana disse acima, houve uma crítica aos produtores mesmo? Também senti isso por conta das referências que fez ao vestido e aos sapatos da mocinha.


    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
  9. Ameeeeeeeeeeeeeei, muito show, o diálogo parece uma versão cômica de titanic ! Adorei a forma como escreveu e expos sua opinião os produtores de filmes! Beijão, www.spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
  10. Este texto veio bem a calhar, estes dias estava discutindo com a Tsu o quanto os conteúdos dos filmes foram desvalorizados por causa do 3D e como a maioria dos filmes sem conteúdo tem a obrigação de ser em 3D, Titanic certamente não poderia ficar de fora.
    Em verdade, eu acredito ser a única pessoa do planeta que ainda não o assistiu e tampouco tenho vontade de assistir. O que sei é que é um romance meia-boca (pouco histórico pelo que me relataram) e o homem do casaco que perigava se desfazer morre congelado, a trilha sonora é um lixo e the end. :D

    ResponderExcluir
  11. Jacques, meu amigo!
    Agradeço muito tua resposta lá no Humoremconto. Se não te importares, a colocarei aqui, tudo bem? Pois como estou lá com a aquele post-específico das manias, e se faz uma ocasião específica, então apenas para não haver confusão com a proposta, tá bom?
    Grande abraço e novamente te agradeço!

    Jacques me disse:

    "Boa tarde, Ana. Respondendo tua dúvida que ficou lá no blog, também não tenho nada contra o cinema comercial norte-americano (tanto que aguardo ansiosamente por alguns blockbusters como Os Vingadores, Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge e a adaptação do clássico literário O Hobbit). O problema surge quando estes filmes são feitas apenas para se ganhar dinheiro e nada mais, como é o caso de Titanic e Avatar (se não viu, não veja) de Jamer Cameron, que possuem a profundidade de um cartão de crédito; são filmes rasos, feitos para, literalmente, todo mundo assistir e não te ensinam absolutamente nada, daí minha crítica a este diretor (dá saudade dos filmes antigos dele, como Exterminador do Futuro 1 e 2 e Aliens - O Resgate, que conseguiam divertir). E em muitos casos o diretor quer fazer um filme excelente, mas os produtores não entendem sua ideia e só liberam a grana se o filme for do jeito deles, e isto estraga muitos filmes, daí minha crítica. Espero ter sanado tuas dúvidas, Ana. Abraço."

    ResponderExcluir
  12. Oi Jacque....

    Haja imaginação e humor heim!!

    Amei seu texto..com conteudo, humor inteligente, informação...

    Parabéns mesmo!!

    Um beijo....até a próxima!!

    ResponderExcluir
  13. Oi Jacques
    Nossa eu já disse que vc é hiper criativo, eu ri muito nesse diálogo, e a parte que o judeu pão duro recicla até a fumaça do cigarro, eu tentei imaginar a cena (kkkkkk). Muito bom mesmo, vc é o cara!
    Bjos.

    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Ri muito!!!

    Adorei a crítica, a criatividade... tudo! Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. jacques,
    só vou assistir ao remake de titanic se for na versão que aqui parodias. muito bem :)

    abraço em sorriso!

    ResponderExcluir
  16. Quem não continua não evolui!

    Abração,
    Rodrigo Davel

    ResponderExcluir
  17. Oi Jacques,

    criticas divertidas e criativas feito esta, são prazerosas demais de ler, o diálogo de Rose e Jack engraçado demais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá..
    Passando pra lhe desejar uma boa semana!
    Beeijosmil ;*

    http://o-que-ninguem-ve.blogspot.com.br/
    "Quem em cada pouco põe muito, merece ser feliz. E muito!" (Tati Bernardi)

    ResponderExcluir
  19. OI JACQUES!
    LEGAL ESTE DIÁLOGO QUE DESENVOLVESTE, JUSTAMENTE DE UM FILME QUE FEZ TANTO SUCESSO,CORAJOSO DE TUA PARTE.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  20. Adorei Titanic e até hoje eu não esqueço, sou fã do Leonardo DiCaprri, a juventude dele me encantou e o filme me fez chorar,era adolescente, tá explicado, mas gosto até hoje e você vem "esculhambar "essa pérola do cinema norte americano já vi outros filmes dele e amei; gosto do jeito crítico e super bem humorado de seus diálogos, vc tira água de pedra, é "gênio... me lembras Nelson Ridrigues.
    Escreves bem como poucos, eu sempre digo que vc daria um ótimo crítico de filmes, novelas, enfim ...deixo uma sugestão faz uma dessas crônicas de uma novela famosa; vai ser tudo!
    Também gosto de novelas, especialmente vilões, vilãs são demais!
    O Crô da última novela da Globo daria um ótimo post, contado ao teu modo, imagine!
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  21. Olá Jacques! Muito divertido e criativo! O diálogo intrigante traz boas reflexões. Abraço!

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Olá Jacques,

    Sempre muito criativo seu humor, e os personagens sempre bem selecionados... Dialogo como esse só um grande Diretor como você consegue traçar tão bem. Você daria um grande critico de filme de comédia. Adorei esse dialogo.

    Grande abraço amigo!

    Ótima semana!

    ResponderExcluir
  24. Jacques,
    Na verdade eu ja fui assaltada à mão armada em pelo dia e na esquina da minha casa quando chegava para o almoço. Era tão pertinho que eu ia à pé e sem levar bolsa para nao ser assaltada... Quando eu ouvi mooooça, eu arrepiei pois sentia que coisa boa nao era. E não era! Mas eu fiquei tão furiosa dessa safado estar me assaltando de dia e de bicicletaaaa que reagi. Olhei o revolver e vi que estava descascado o cano e era de verdade... Ele queria o meu celular motorola que eu comprei na promoção do fala paizão e era a coisa mais linda do mundo. Eu perguntei: É o celular que voce querrr?? Ele disse que sim e pra eu passar logo. Eu tirei do bolso e olhei pra ele e joguei bem longe e mandei ele ir buscar. Ele balançou a cabeça, fez "tsi, tsi" e foi lá buscar. E eu fiquei com a mão na cintura olhando ele com fúria. Vi a visinha que estava vindo do mercado correndo pra trás, as alunas que desciam esconderam detrás do muro e um rapaz numa caminhonete ficou olhando da outra esquina.Ele foi embora e so depois que eu vi que ele nao pediu minhas joias que valiam muito. Ladrão de meia tigela, mas ganhei bronca do agente de polícia por ter reagido, mas na hora nao pensei.É horrível!
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
  25. Você é profundo conhecedor das peculiaridades que envolvem o mundo do cinema, o que lhe dá a capacidade de nos divertir, com propriedade, quando deixa a imaginação fluir e criar tais diálogos. Nas entrelinhas (ou mesmo nas bem traçadas linhas), um espírito crítico cria vida e nos encanta.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  26. Primeiramente, eu JURAVA que já havia comentadoo... vim aqui, sapiar e ver os outros comentários e não vi o meu! UáTáFóqui???? Poxa, pisei na bola. Quando li a primeira vez, o post, eu com certeza estava zureta das ideias(tá, é quase meu normal)!! Sacanagi brogui!

    Vamos lá! Vc foi super super no diálogo. kkkkkkkkkkk... e, claro, tinha que dar umas alfinetadas né? Apresentar os outros filmes, foi uma sacada genial na crítica! Adorei!! hahahah... vc é dez, Jac!

    E aí? É hoje o dia da horta aí? Jamais me esquecerei dessa sua observação, visse? Mesmo que eu mude o layout do Umas e outras para milhares de cores diferentes... jamais me esquecerei!!! E isso é uma ameaça... O.o

    beijosssssss :D

    ResponderExcluir
  27. Fala Jacques!

    Mais um diálogo satírico, ficou legal, parabéns! Vejo que aprecias muito a arte cinematográfica, eu também.

    Cara, eu já lhe disse que adoro sua descrição ("Alguém que sempre tentará ser amanhã um ser humano melhor do que é hoje"), ela é demais!

    Forte Abraço

    Anselmo

    ResponderExcluir
  28. I love that movie, great
    I like this blog, and I follow the 83
    I hope you follow me back to
    ask
    thank you



    http://penyuluhpi.blogspot.com/
    http://penyuluhpi.blogspot.com/2012/04/ternyata-kotoran-sapi-bisa-dijadikan.html

    ResponderExcluir
  29. Não resisti (rss). Por mais automático que seja o ato de sedução, não o podem ser os da entrega, pois a pressa nos impede, muitas vezes, de saborear momentos de pura magia.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  30. Que papo hem?
    Muito bom . rsrsrsrsrsd
    beijos!

    ResponderExcluir