sexta-feira, 26 de outubro de 2018

O candidato


- Você viu? Tem um candidato que prometeu liberar o porte de armas pra população, caso vença.

- Ok.

- O quê?

- “O quê”, não, “ok”, expressão idiomática de uso comum que significa tudo bem, all right, de boa, mais tranquilo que vândalo em Black Friday, mais...

- Não, como assim você acha normal o sujeito prometer deixar a galera usar arma? Isso tiraria o emprego do assaltante, o que seria um crime! E o país viraria uma Terra de Ninguém, um lugar sem lei, um Apocalipse Now refilmado por Zack Snyder, um...

- Brasil?

- É... Pode ser. Mas você entendeu, não?

- O que quis dizer é que promessa de campanha é igual drink aguado: depois da comemoração ninguém lembra mais. E isso que esse sujeito faz se chama populismo, que é dizer ao povo o que ele quer ouvir pra conseguir seu voto, tipo o que se faz com criança pequena pra ela dormir cedo, com a diferença que criança tem desculpa pra acreditar em qualquer coisa.

- Pois é... E ele também defende a tortura...

- Justo! Muito justo! Justíssimo! Mais justo que calça de roqueiro oitentista!

- Hein? Como assim? Porque...

- Porque o torturado NÃO SERÁ ELE! Legal, não?

- Não! Mas não MESMO!

- Pois é. Que mais?

- Errr... Ele... Ele também defende a supremacia da maioria, tipo...

- Estados Unidos? Outra péssima ideia, já que, se ele é a favor da tortura, a maioria ficará contra ele.

- Sim, porque...

- Porque ele perderá feio para torturas institucionalizadas, como programação de TV aberta, caminhões de vendedores de cebola de Nossa Senhora da Lonjura Distante e funk universitário.

- Mas... Se ele é tão ruim assim, por que está na frente nas pesquisas?

- Porque as pesquisas de opinião são mais falsas do que propaganda de chuveiro na França.

- E daí? Os candidatos também são!          

- De fato. Mas o que este sujeito faz se chama F.A.S.C.I.S.M.O. (Fanáticos Acéfalos Saudando Corrupção, Iletralidade, Sandice, Maracutaias e Ostentação) e é usado pra ascender líderes inaptos em tempos de crise quando a...

- Mas o capitão...

- Ah, ele é militar? Isso explica porque só pensa em limitar. Estes caras, na escala evolutiva, estão entre o pé de cabra e a tapioca mofada.  Eles criam um mito, ganham uma pá de dinheiro com ele e depois vão adicionando acontecimentos novos retroativos, tentando dar a impressão de que estes sempre existiram.

- Mesmo?

- Sim! Tipo o George Lucas e a J. K. Rowling!

- Mas ele é a favor do cidadão de bem!

- Bem?

- Sim!

- Bem... Armado, só se for, né? E o outro?

- Que outro?
-
 O outro candidato. Tem de ter no mínimo dois nessa coisa de eleição. Se tiver um só fica tão sem graça quanto correr contra o Usain Bolt.

- Bem... O outro... Ele...

- Sim? Sim? O que foi que ele prometeu? Criar o programa Minha Metralhadora, Minha Vida? Munição Zero? Granadas Para Todos? Ai, meu São Sagan!

- Não, ele só... Pretende promover a igualdade racial, educação de qualidade, segurança. Essas coisas que, de tão básicas, passam despercebidas.

- Ufa! Ainda bem. Pelo visto, o miliquento nunca fez nada, só critica o esforço alheio e ainda quer ganhar crédito por isso, tipo uma mistura de Jar Jar Binks com Don King, mas com um penteado melhorzinho.   

- Sim, e acredito que, se o Bem Armado ganhar, mergulhará o país no caos, fazendo com a Economia do país o que a Yoko Ono fez com os Beatles, tornando-o...

- Uma Venezuela?

3 comentários:

  1. Olá, Jacques, que bom te ver de volta!
    Pois bem, agora com o resultado do pleito, veremos no que dá..
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. P.S. Só comentei hoje pois por incrível que pareça o feed do meu bloguinho só agora avisou de sua postagem, aff.

    ResponderExcluir