quinta-feira, 28 de agosto de 2014

O pastel e o escarcéu



- Muito bem, muito bem, meu caro rapaz, me vê aí um pastel sabor “Vitória Esmagadora”, sim?

- Esse sabor está em falta, Sr.. Temos o “Deixei o emprego que detestava mais do que sorvete de pepino”, “Meu time escapou da segundona”, “O Cachorro do vizinho foi visitar Marrakesh” e “Arranhei o carro do chefe e ele não ficou sabendo”.

- Bem, bem. Não se pode ter tudo, não é mesmo?

- Não, não Sr..

- Foi uma pergunta retórica.

- Mas válida, já que, como não se pode ter tudo, não dá para esperar que todos entendam as perguntas retóricas, certo?

- Errr... Acho que sim.

- E qual seria o motivo de tal exorbitância gordurósica, Sr.?

- Estou comemorando minha primeira promoção no trabalho. De assistente adjunto para assistente adjunto sênior! Te cuida, Donald Trump!

- Sem querer ofender, mas o único jeito do Sr. representar algum perigo a ele será fechá-lo no trânsito ou involuntariamente transmitir algum vírus a ele em uma rede social qualquer.

- Ah, é? E porque?

- Porque está comemorando uma coisa quase tão insignificante quanto vitória do Tacafogo, oras.

- Ora... Não diga uma coisa dessas!

- Bem... Minha função é servir os fregueses, então eu tento...

- O Tacafogo é o meu time do coração, poxa!

- O que não dá o direito a ele de lhe causar um ataque cardíaco, não concorda? 

- Mas o que posso fazer se a zaga tem mais buracos que estrada superfaturada?

- Hmm... O Sr. joga futebol, por acaso?

- Não. Nem por acaso, nem por acidente e nem por obrigação. Acho que não jogaria nem se tivesse dois pés direitos.

- Então porque se importa tanto com isso?

- Porque... O pessoal do escritório fica me zoando com frases tipo “da última vez que o Tacafogo ganhou alguma coisa, Nicolas Cage ainda podia se dar ao luxo de escolher roteiros!”.

-  Então... Pode-se dizer que o Sr. se importa porque... Importa atitudes?

- Bem... Eu tento não dar atenção, mas...  Quer dizer então que... Deixar de consumir pastel por motivos fúteis me deixará menos... Pastel?

- Exato!

- Bem... Mas é melhor ser pastel do que coxinha, não?

- Exato!

- Ahn... Deve ser isso que falam sobre controle de massas.

- Massa encefálica, no caso! He, he.

- Sim, sim. Mas me diga, você conversa com as pessoas usando sempre estas analogias amido-oleaginosas?

- Na maior parte das vezes. Elas são uma mão na massa, sabia?

- Sei, sei. E... Funcionam?

- Se fizerem a pessoa melhorar seu recheio, sim!



17 comentários:

  1. Ola Jacques! Retornei a blogosfera e fico feliz de poder visitar novamente o seu blog e ter contato mais uma vez com o seu belo trabalho.

    De fato é melhor ser pastel do que coxinha né? kkkkkkkk... Até porque no final das contas o que vale mesmo é o recheio, porque de pastel de "vento" estamos cheios!

    Abraço,
    Flavio Ribeiro.

    ResponderExcluir
  2. Mais um texto oportuno e muito bem escrito!
    Gostei das analogias, e como diz o Flavio, pastel, coxinha, etcéteras.. o que vale é o recheio.
    Abraços
    Mari

    ResponderExcluir
  3. Olha, fisicamente falando eu prefiro ser coxinha, é mais atraente haha Deixando a brincadeira de lado, não adianta nos alimentar com coisas fúteis, não? É como aquele chicletes cheio de calorias vazias. Concordo com o Flavio, o recheio é o que importa.
    Grande abraço

    ResponderExcluir
  4. Texto muito bem elaborado!
    Eu também apreciei as analogias, bem boladas mesmo!!!!!!
    Mas esses pastéis!!!!!!rsrsrsrsrsrs
    Bjus e bom domingo!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Flavio
    Fiquei feliz pela visita, não estou retornando de imediato, mas estou adorando estar por aqui.
    Muito legal seu texto, sempre com uma ótima reflexão, quanto a pastel ou coxinha, claro que aquele que tenha conteúdo sempre. Porem sempre melhorando o nosso recheio.
    Um grande abraço e obrigada pelo carinho da visita.

    ResponderExcluir
  6. OI QUERIDA AMIGO
    Mais um maraviloso texto.Mais esses pastei tem o que falar..Bem, desejo que seu começo de semana seja simplesmente fantástico! .E que o mês de Setembro te traga muitas alegrias. Um abraço.
    Ana

    ResponderExcluir
  7. Boa noite Jacques,
    Cá estou para conhecer você, suas escritas e seu blog.
    Cheguei até aqui através do blog "Vendedor de Ilusão"...e já me encantei com o texto reflexivo, as analogias muito bem colocadas e com muito humor. Que nosso recheio seja sempre o melhor.
    Abraços com carinho
    Marilene
    Marilene Folhas Flores e Sutilezas

    ResponderExcluir
  8. Olá Jacques! Achei legal!... Você sabe! Aparece por lá, tem um post que talvez goste.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. OI JACQUES!
    COMO SEMPRE ME DIVIRTO LENDO TEUS TEXTOS.
    VERDADE, O CONTEÚDO É O QUE IMPORTA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi, Jacques!
    Se o recheio não muda, muda-se o pasteleiro. Se tem pouco recheio, daí ouviremos várias justificativas...
    Beijus,

    ResponderExcluir
  11. Olá, Jacques!
    Pensar que pastéis lhe proporcionaram inspiração para esse reflexivo texto! Esse vendedor possui o recheio que não se encontra em pessoas (rss). A casca, mesmo bela e crocante, de nada vale por si só. Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Olá, Jacques!

    Amigo, retornando aos poucos, te encontro com esta postagem que proporciona uma reflexão sobre as palavras no seu contexto, uma frase que eu fiquei a pensar: Coxinha, com certeza, usam este adjetivo pois alguns não possuem nada dentro da alma. Não adianta ser belo por fora se o recheio é ruim.

    ET. Amigo fiz outro blog, a cx de seguidor está com problemas, vou linkar seu blog para não perder o contato e pq gosto do que vc escreve.

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Fala Jacques..

    Muito bom estes pasteis. rsss

    Abraço

    ResponderExcluir
  14. Olá, Jacques!
    Para que saiba, divulguei a Programação das apresentações do 2º Prosas Poéticas que se iniciará nos próximos dias; dê uma olhada, quem sabe entre as autoras e os autores participantes, não tenha alguém a quem você gostaria de prestigiar.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. OI JACQUES!
    RELENDO E TE DEIXANDO MEUS VOTOS DE UM ÓTIMO FINAL DE SEMANA.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Bah, guri de Pelotas!
    Ótimo texto!
    Pois é, o que é mais importante é que a 'massa' não seja somente de manobra; seja pensante. O sabor é a gente quem faz.

    Beijos e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  17. Olá Jacques,passando para agradecer o seu comentário no meu poema,lá no evento do amigo Viviani.
    Obrigada.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir