sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

A fama é para os famosos




- Você viu que a Lateesha McKormick está de namorado novo?

- E...

- “E” o quê?

- “E o quê” pergunto eu! Por acaso o namorado anterior dela é filho de um vendedor de reatores nucleares e ele ficou mais amargurado que professor de filosofia assistindo reality show, não aceitou bem a ideia da separação e resolveu explodir alguns deles para se vingar do mundo que o feriu?

- Ahn... Não sei dizer. Acho que... Talvez... Eu não seja tão fã da Lateesha assim...

- Pois pra mim a vida pessoal dela é tão importante quanto o novíssimo hobby do Jack Nicholson.  

- Não sabia que você era fã dele.

- E não sou.

- E de quem você é fã, então?

- De ninguém!

- Como assim?

- Eu apenas acho que o fato de uma ou mais pessoas terem criado uma obra de que gostei não as torna automaticamente seres perfeitos que devem ser mais elevados ao status de divindade, como ocorreu com o café capuccino e a sanduicheira elétrica. O mesmo sujeito que escreve coisas que mudarão minha forma de pensar pode também ser aquele tipo de pessoa que faz cara de inocente ao parar o carro em cima da faixa de pedestres.

- Isso é verdade. Mas você não acha interessante podermos saber o que nossos, ou melhor, meus ídolos fazem no dia a dia?

- Eles fazem o mesmo que nós, só que com menos intimidade, mais pose e roupas mais caras. Aliás, mais caras e capazes de meter medo até em um recipiente cheio de amostras do vírus da gripe espanhola. Sinceramente, porque é que muitos artistas se vestem como uma mistura de Carmem Miranda de mau humor com o Coringa apaixonado?           

- Acho que muitos deles fazem isso para se diferenciarem das pessoas...

- Normais?

- Amadoras. E o que é considerado absurdo para uns é totalmente normal para outros.

- De fato. Em um mundo onde cada pessoa é única e indistinguível como um floco de neve, o conceito de “absurdo” praticamente se torna... Absurdo.

- Exato. E é para se impedir absurdos deveras absurdescos que criaram o Q. P.!

- Eu sei que irei me arrepender por fazer isso, mas... O que é Q. P.?

- “Quem Pergunta?”! He, he. Aham, desculpe. O Q. P. é o Quociente Poodle, que recebeu este nome por ser baseado nas reações de um poodle ao observar combinações de roupas comumente geradas por ação humana. De 0 a 3, bibliotecário tentando impressionar os chefes (o poodle ignora com um certo ar de desdém), de 3 a 6, personagem principal de filme do Tim Burton (o poodle olha com as orelhas levantadas e treme nas bases), de 6 a 9, Lady Gaga viajando no lsd (o poodle fugiu ao ver isto e nunca mais foi encontrado). Entendeu?

- Hmm... E... Acima de 9, o que seria?

- Nada que a sanidade possa descrever de forma que faça sentido.

- Entendo. E eu que achava que poodles só serviam para se espalhar cera no carro. E quem foi que criou esse medidor de ridicularidade?

- Ninguém lembra. Vai ver, o inventor não era famoso.            
       
- O que nos leva à seguinte questão: como se adquire fama?

- Muito simples: basta namorar ou casar com alguém que já a possui.

- Mas, seguindo essa lógica, como surgiu o primeiro ser humano famoso?

- Acredito que ele devia ter algo que nenhum dos outros tivesse e todos quisessem.

- Talento acima de todas as escalas mensuráveis? Dna mais adaptado ao meio ambiente por milhões de anos de evolução?

- Parentes influentes.

- Pode ser, mas ainda acho que se ficar cuidando a vida de quem é famoso é coisa de quem não tem objetivo na vida. E acho que eles só fazem as mirabolâncias que fazem porque não sabem fazer outra coisa. Parece que jamais saberemos a verdade. A não ser que...

- Que...

- Nós perguntássemos para algum deles. O que acha disso? Porque não pergunta isso pra Lateesha?

- Não vai dar, não.

- Ah, sim, você não fala inglês. Mas com certeza algum amigo teu pode...

- Não é isso, é que, por causa de uma medida restritiva, eu não posso conversar, olhar diretamente, respirar o mesmo ar e chegar a menos de 1000 kilômetros dela...

- Como... Como é que alguém consegue uma medida restritiva apenas acessando a internet?

- Quer mesmo saber?

- Ahn... Não, não quero não! Algumas coisas devem permanecer em segredo...   


36 comentários:

  1. O objetivo de quem cuida da vida dos outros é cuidar da vida dos outros. Errado. Mas é um objetivo.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  2. verdade mesmo nesse texto gostei
    de ler, vc sempre postando algo
    de bom..abraços pelo novo ano
    Bjuss
    Rita!!!

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde, Jacques.
    Seu texto com o usual humor inteligente sempre nos leva a alguma reflexão.
    Eu também nunca consegui entender esta idolatria em torno de pessoas que, por vezes, ficaram populares por meios que nem foram o talento. E mesmo sendo o talento, onde algumas pessoas se espelham, continuo achando que nada justifica tal comportamento irracional.
    Abraço.

    => CLIQUE => ESCRITOS LISÉRGICOS...

    ResponderExcluir
  4. Jacques,

    Eu queria ter escrito esta crônica, identifiquei-me. Manda-me uma foto tua autografada, manda, vai, manda... Sou teu fã! @-@ rsrs

    :)
    Marcos

    ResponderExcluir
  5. "Eu apenas acho que o fato de uma ou mais pessoas terem criado uma obra de que gostei não as torna automaticamente seres perfeitos que devem ser mais elevados ao status de divindade(..."

    Definição perfeita!

    Também penso dessa forma. Gosto de vários artistas e bandas, mas não idolatro. Gosto do trabalho deles e pronto. Acho sem sentido quando vejo reportagens de tv sobre as loucuras que fãs são capazes de fazer para apenas chegar perto, ou conseguir um autógrafo, mesmo sem ter visto a tal celebridade.
    Pessoas passando uma semana na fila, acampando em barraquinhas, arriscando a saúde e emprego para ver um show - de longe, espremido entre uma multidão e sem nem conseguir ver direito o(a) cantor(a) objeto de adoração.
    Atores que não podem fazer um simples passeio sem se preocupar com fãs correndo para cima deles.
    Afinal, para que tudo isso, se são gente como a gente?

    p.s.>: Morri de rir com o Quociente Poodle!

    ResponderExcluir
  6. Muito Legal cara! Tempos eu estava tendo essa reflexão em meu íntimo. Pensando exatamente sobre isso - por que cargas d'água essa idolatria massiva aos famosos? Se eu dia eu for ''famosa'' dispenso essas idolatrias e báh. Todos os seres humanos são igual biologicamente e ás vezes esquecemos disso. Adorei realmente e digo que me ajudou em minhas reflexões, sempre vale muito a pena ler aqui.


    Grande Abraço.
    Att. Sabrina Gomes

    Blog Spiderwebs <<

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Olá Jacques, como sempre arrasando em seus textos, também fico a me perguntar sobre estas idolatrias loucas e se fosse por algo que edificasse o conhecimento, mas infelizmente alem de tietes loucas, o mal gosto impera entre elas, nossa acho que joguei veneno, porem não foi por querer, mas não vemos ninguém gritando o nome de Carlos Drummond e tantos outros ícones dotados de cultura.
    Por fim adoro seus textos, nos faz refletir se divertindo.
    Beijinhos...

    ResponderExcluir
  9. Olá Jacques,

    Mais um belo texto inteligente...

    Parabéns!

    Abçs

    ResponderExcluir
  10. Olá, nobre amigo Jacques!
    Se a fama for maçante como as notícias fúteis que divulgam dos famosos, é muito melhor viver no anonimato com toda privacidade e liberdade de ir e vir sem ser incomodado por paparazzis inescrupulosos. Sem falar na má fama, que deve ser mesmo insuportável.
    Realmente os famigerados são quase iguais nós, simples mortais. Com a diferença de eles terem a vida mais atribulada que a nossa.
    Quando leio ou assisto a um filme que conta a biografia de algum famoso, sempre fico um pouco decepcionado.
    O texto, como sempre, é muito hilário, sábio e oportuno.

    Parabéns pela engenhosidade!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. ♥♥ ☆ ¸.•´¯`•.¸☆..•.✿.☆
    Bom dia!!!
    Vim deixar um abraço!!

    ResponderExcluir
  12. Eu nunca fui de ter ídolos, e geralmente uso o mesmo discurso que usou. Não admiro famosos, mas as vezes admiro os trabalhos que eles já fizeram. Gostei demais do texto. Como sempre hahaha

    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Meu querido amigo
    Gostei do texto muito bem escrito.Gostaria de agradecer a Deus por todos os momentos maravilhosos que tenho tido em minha vida.

    Por todos os momentos felizes e porque não os tristes? Muitas coisas aprendi com eles, muitos valores guardei e muitas vitórias conquistei.

    O que seriam de nossos momentos felizes se não existissem os tristes? Eles simplesmente não teriam significado algum. Seriam como sol sem chuva, dia sem noite, calor sem frio.
    Alegria sem dor? Uma jamais teria sentido sem a outra. Os momentos de dor servem para reconhecermos nossos momentos alegres, nossas vitórias e conquistas e principalmente para agradecermos a Deus por eles.
    E hoje agradeço a Deus o meu maior momento de alegria e minha grande conquista de poder fazer amigos.
    Uma feliz sexta feira.
    Ana

    ResponderExcluir
  14. Olá Jacques!

    É bom saber de ti e ler as tuas histórias inteligentes, que nos divertem e nos levam à reflexão.
    Parabéns pelo texto e também pela Antologia! :)
    Sinceramente, nunca entendi o interesse que as pessoas têm de querer saber da vida dos famosos. Na minha opinião isso é coscuvilhice disfarçada de idolatria, com um tiquinho de inveja. É como disseste e muito bem, Q. P. - Quociente de Poodle.
    Ahahah
    Quanto ao Google+, tenta aceder com o Chrome.

    Abraços,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Boa noite amigo.
    Passando para deixar meu carinho e te desejar um fim de semana excelente. Beijinhos :)))

    ResponderExcluir
  16. kkkkkkkkkkkkkkkkk Amei, Jacques! Suas colocações foram excelentes.
    "Mistura de Carmem Miranda de mau humor com o Coringa apaixonado" é hilário. Mas acontece, e muito. Muitas vezes, nem os pais são ídolos. E gostaria muito que o fossem , mas não existe perfeição. Eles ainda se equivocam por amor, mas os "astros" nada têm para ensinar, só desejam se mostrar. E apreciar uma obra de arte não faz de seu criador, realmente, alguém que se aplauda sempre.
    Meu amigo, obrigada pela gentileza de sempre e pelos cumprimentos por ocasião de meu aniversário . Você é show! Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Jacques, guri de Pelotas!
    Finalmente consigo vir por aqui..., tenho postado pouquíssimo como deu para perceber, é quando conseguirei fazer as visitas. Tudo mudou neste ano! :)

    Ótimo texto como sempre, estava com saudades da tua escrita!
    Mas ora essas celebridades! muitas vezes tidas como heróis... e em todas como exemplo de algo que talvez não tenha importância nenhuma.

    Beijos e ótimo fim de semana!

    ResponderExcluir
  18. Oi Jaques,

    Tudo bem? Ainda estou voltando e com tempo escasso, mas vou tentar manter a postagem semanal. Não gosto dos excessos das celebridades e lembrei do filme Para Roma com Amor do Woody Allen em que uma das histórias relata a questão do ser famoso, mesmo quando não exista nada em cena.

    Beijos.

    ResponderExcluir

  19. Oi Jacques,

    Excelente!
    Quem são as celebridades? Para mim, as pessoas marcam pelo talento em alguma arte ou mister, mas nada que desperte convulsão, mas admiração.
    Estas pretensas celebridades, como bem assinalado, são pessoas como nós, só que com uma rotina diferente. Muitas são fabricadas pela mídia.
    Alguns necessitam da fama e fazem tudo por ela. Chegam até a entrar em depressão quando ignorados. Outros, de tão alardeados, não conseguem ter uma vida tranquila, nem privacidade.
    Triste cultura esta de idolatrar pessoas, algumas vezes fúteis e banais.

    Ótimo domingo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  20. Como faço para ser adicionada no teu Face "Coisas Antigas" Aquele menino que está adicionado é o mesmo que recita o poema de Fernando Pessoa - Pecado original , no meu blog.
    Achei a ideia ótima. Outra coisa quando tu entrar no meu blog veja se a música esta funcionando. Desculpa o aluguel. Muito obrigado.
    beijos!!!

    ResponderExcluir
  21. Teu texto me lembrou o discurso feito pela Jodie Foster ontem na cerimônia de entrega do Globo de Ouro, ela começou dizendo que tinha algo de muito importante sobre a vida pessoal dela, algo que nunca tinha sido revelado e que ela contaria naquela noite; era uma piada. Ele em seguida criticou a invasão de privacidade e defendeu que celebridades devem ter suas vidas pessoais resguardadas, o que é mais que justo, pra mim pouco interessa saber se eles estão solteiros ou casados, qual vestido estão usando ou se protagonizaram um novo escândalo...

    http://www.sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2013/01/kon-tiki.html

    ResponderExcluir
  22. Oiiiii Jacques!

    Amigo, seu texto está muito bem elaborado e sempre com um tom de critica ou uma satira, kkkkkkkkkkkkkk, é isso ai amigo, tem pessoas que não tem o que fazer,mas querem ser artistas, e outras que são celebridades muitas vezes até pagam para aparecer na mídia e fazer sucesso.Se deixar, até descobrem a hora que vai ao banheiro...kkkkkkk.Afffffffffffff....E tem aqueles que preferem a privacidade e não aparecem muito e fazem sucesso.Cito um cantor:Roberto Carlos.

    Amigo, adorei o texto...GENIAL....Feliz 2013...e vamos...e vamos escrever qdo a inspiração atacar.Bjs

    ResponderExcluir
  23. Oi Jacques! Valorizar o efêmero é mesmo muito estranho. Celebridades fazem muito sucesso numa área e noutra época estão no fundo do poço ou deixam de existir. Mais um excelente texto seu. Abraço!

    ResponderExcluir
  24. Olá!Boa noite!
    Jacques
    Tudo bem?
    ...utilizando de seu usual senso de humor ,você consegue nos fazer refletir.
    E de várias maneiras.Entendo que existem efemeridade, invasão, cuidar da vida dos outros,quociente poodle etc etc
    eu já penso que o poder dos meios de comunicação é evidente em vários temas, inclusive ao da idolatria.É bastante evidente que as escolhas não são fortuitas e que se alguns são “produzidos pela mídia”, eles, por sua vez, “produzem a mídia”, Então, só existem os famosos porque existem os anônimos. Só não podemos deixar que haja a idolatria massiva , através de outros valores , em detrimento dos valores morais.
    Bela quarta feira!
    Abraços
    ClicAki Blog(IN)FELIZ

    ResponderExcluir
  25. OI JAQUES!
    A PERGUNTA QUE FICOU NO AR É DEVERAS INTERESSANTE, " COMO A PRIMEIRA PESSOA FICOU FAMOSA?"
    É CLARO QUE JÁ DEVERIA HAVER PESSOAS QUE SÓ CUIDAVAM DA VIDA ALHEIA NÉ?
    COMO SEMPRE UM DIÁLOGO RICO E INTELIGENTE.
    ABRÇS
    http zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI://

    ResponderExcluir
  26. Boa noite amigo.
    Passando para te deixar o meu carinho.
    Bela quarta. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  27. Jacques, menino inteligente.

    Queria ser uma mosquinha para saber qual é a sua próxima história inteligente que estás a tramar.
    Isto vale a pena. Agora cuidar da vida dos outros é prá quem não tem nada de interessante para cuidar e concordo com você de 6 a 9. Celebridades para mim são os que realmente valem a pena: Os Beatles, Madre Teresa de Calcutá, Rubem Alves, Nelson Mandela, etc. Alguns perenes e outros momentâneos.
    Momentâneos que eu digo, são aqueles que deixaram alguns rastros que me encantou.
    Eu queria saber como ficar famosa. Você pode me dizer quais são as estratégias?

    Um 2013 cheio de inspirações.
    bjs

    ResponderExcluir
  28. Muito bom como sempre o que nos leva a refletir, esses dias mesmo dando uma olhada no Facebook, afff eita lugar esquisito mas enfim, como as pessoas querem 5 minutos de fama, acho que no fundo além de ídolos querem ser, é o egocentrismo que fala mais alto.

    ResponderExcluir
  29. Oi Jacks, estive meio sumido devido a problemas na minha net, mas já estou de volta, claro, não podia deixar de passar por aqui. Acho que tudo isso se deve a necessidade que existe no ser humano de ser reconhecido, querendo ou não, até nós, pobres anônimos temos essa necessidade. Tudo que vazemos ainda que muitos não aceitem esse fato, é em busca do reconhecimento daqueles que nos rodeiam, perfumes, roupas, estilo, estudo, cultura, tudo é em nome de parecer bem, bonito, culto, bem sucedido etc, tudo em nome de ser reconhecido. Pra mim uma celebridade é só alguém que saiu do anonimato e mostrou ao mundo essa necessidade de ser reconhecido, o anônimo tem a mesma necessidade, mas como ele é anônimo não faz tanta diferença.

    Abraços

    ResponderExcluir
  30. Olá! Conheci seu blog através do Escritos Recomendados e gostei, seu texto é muito inteligente. Vou acompanhá-lo, um abraço!

    ResponderExcluir
  31. Olá Jacques, boa tarde!

    Apesar de não me interessar pelas celebridades, o que fazem ou deixam de fazer, dizem que as revistas populares que tratam da vida delas, são as que mais vendem no mercado. Mas se prestarmos bem atenção, vamos perceber que o que mais levam essas celebridades a serem capas de revistas, ou aparecer mais na midia , são os escandalos,fim de casamento, bate boca com rivais, ou novo namoro delas... Dificilmente vemos destaque sobre um bom trabalho que elas fizeram. Se é que fizeram...rsss..

    Como sempre, meu amigo, você consegue dar um "quê" delicioso em assuntos que eu nem cogitaria pensar, e aí vem você, num diálogo bem humorado, tornar o teu texto, algo muito agradável de se ler. Gostei!

    BJos da Lu...

    ResponderExcluir
  32. Jacques,
    Adorei a abordagem humorada o tema "idolatria" que chega à insanidade às vezes. Eu concordo com esse pensamento que pq uma pessoa canta uma música que faz sucesso, uma obra de arte, um papel interessante na novela não a torna um ídolo.
    Não me interesso por vidas de celebridades ou mesmo pelo meio de vida deles, mas o que parece é que a mídia influencia o meio...
    Como sempre Jacques, um texto supimpa!
    bjks doces.

    ResponderExcluir
  33. Olá Jacques, tudo bom?
    Esse texto faz a gente pensar bem nesses conceitos de fama e ídolos. Concordo com você que, só porque gostamos de algo que outra pessoa escreveu (pensando na blogsfera) ou de uma performance qualquer, não quer dizer que tenhamos que elevá-la acima dos demais.
    A primeira pessoa famosa deve ter tido um diferencial qualquer pra ter sido elevada a essa condição, e aí não teve mais volta pra humanidade.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  34. A mídia faz quem ela quer famoso. Quantos estão pagando para isso? Veja a moça que vendeu a virgindade e encontrou um chinês para comprá-la. Acha mesmo que a moça é virgem e que esse chinês comprou sua virgindade? Tudo armação para "aparecer" e quem sabe acontecer e ganhar uma graninha para dividir com o tal chinês mais os empresários que armaram a bagaça. Tem que ser muito bem feito ou ter a mídia do lado. A mídia constrói ou destrói. A verdadeira fama se prova mesmo depois de morto. Veja o caso de Klaus Kinski que diante de toda a polêmica desde as confissões de sua filha, exigiram que o seu nome fosse retirado da calçada da fama diante do museu de Berlim. A resposta veio: "Ele foi um genial ator e ser um bom ator não significa automaticamente ser uma pessoa boa".
    Boa semana!! Beijus,

    ResponderExcluir
  35. Oi Jacques
    Estava com saudades daqui, de seus escritos hiper inteligentes. Já escrevi sobre isso no meu blog, é claro que não com essa inteligência peculiar sua kkkkk, mas no final das contas chego a ter pena dos famosos kkkkkk.
    Tem uma surpresa lá no blog para ti,se aceitar recebê-lo.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  36. Olá bom dia!!! Saudades de você amigo.
    Passei para te trazer meu carinho e te avisar que tem um mimo para você lá no meu blog.
    Tenha um belo dia. Beijinhos

    ResponderExcluir