quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Marcas que ficam




- Amor?

- Hein, querida?

- O que é isto aqui?

- Margarina, amor. Serve pra passar no pão, colocar na comida, jogar no juiz ladrão que roubou um pênalti de seu time aos 48 minutos do segundo tempo.Ou também pode ser manteiga, sei lá. Acho que esse é o tipo de coisa que você passa a vida toda sem saber a diferença.

- Da mesma forma que você não sabe a diferença entre a marca que nós consumimos e esta aqui? Esta é Margarine, e a marca que eu pedi foi a Maargarine!

- Ah...

- Exatamente! Faltou um “a”, de “atenção”!

- Aaaahhh... Té que isto não é algo tão sério assim, né? Amor? Querida? Fofucha?

- Tem algumas coisas na vida que são sagradas, sabia? Como...

- Saber perdoar a pessoa amada por ela cometer um erro miseravelmente ínfimo, quantitativamente irrelevante, estatisticamente desprezível e sócio-culturalmente aceitável?

- Não interromper a pessoa amada quando ela está explicando o quão frágil é a base de um relacionamento, a novela das oito...

- Que começa quinze pras dez!He, he! Aham... Tá, eu... Espero você falar.

- E eu espero me lembrar porque é que nós casamos, sabia?

- Nós nunca casamos. Toda vez que eu toco no assunto você foge do assunto, mais do que criança pequena foge do banho.

- EU fujo do assunto? Você é que parece o Nicolas Cage fugindo de um bom roteiro quando eu falo em casório! E é VOCÊ que sempre muda de assunto quando...

- Mas... Porque foi que começamos a comprar esta marca de margarina, mesmo?

- Porque descobriram que a outra tinha D.E.A.T.H. (Di-etil-anidro-tetra-hidroxilato) na composição, que afeta o desenvolvimento dos pepinos do mar que, por sua vez, cessam de comer os sedimentos do fundo do mar, o que pode colocar em risco toda a cadeia ecológica marinha e, consequentemente, TODA A VIDA NO PLANETA!

- Isso inclui fãs de programas de auditório?

- Reformulando então: TODA A VIDA DO PLANETA, SEJA ELA PENSANTE OU NÃO!

- Nossa, esse é o tipo de coisa que se passa a vida toda sem saber. Mas... Mas... A culpa não foi minha não! Tem mais marcas de margarina lá do que estrelas no mar!

-Você quer dizer “estrelas no céu”, não?

- Não, no mar, mesmo. Filo Echinodermata. Hmm... Acho que esse é o tipo de coisa que se grava na memória sem se saber porque. E tem tantas câmeras te seguindo lá no supermercado que eu até fico nervoso de andar por lá.

- Que câmeras? Nunca vi nenhuma.

- O que prova que elas estão muito bem escondidas! E aquele lugar é tão grande que daria para colocar o ego do David Beckham, a charlatanice do Jack Palance e a teimosia do Hugo Chávez junto!

- E porque você não perguntou para um funcionário onde ficava a Maargarine?

- Eu até tentei, mas os únicos empregados de lá estavam ocupados fazendo cara feia pro pessoal que fica tocando nos produtos, e se eu falasse com algum deles, ele poderia se desconcentrar e, acidentalmente, desfazer a cara feia, o que poderia irritá-los.   

- Tá certo, senhor gentileza. Mas agora vai tratar de trocar essa... “Margarina” pela outra, sim?

- E porque você não quer nem provar esta, querida? Até parece que ela pode reagir com nossa acidez estomacal e causar uma reação química que transformaria a pessoa em um reator nuclear vivo, ainda que por pouquíssimo tempo.

- E... Ela pode fazer isso?

- Acho que não. Se fizesse, já teria sido recolhida do mercado. Ou seria vendida com desconto. He, he. Ah, qual é, amorzinho, você não levou isso a sério, né? Está certo, eu troco a margarina, mas só uma dúvida: esta Maargarine que nós comemos, tem o tal dietilseiláoquedasquantas na composição?

Silêncio deveras significativo.

- Amor?

30 comentários:

  1. Acho que aconteceu com uma amiga minha. Ela é assim, igual. rsrsrsrsr
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Oi Jacques! Muitas marcas, pouca variedade. Muita gente, mas medianas. Exceto, você e outros poucos que fogem à regra. Genial. Abraço!

    ResponderExcluir
  3. E como eu já presenciei discussões assim por motivos tolos que acabaram em brigas onde pessoas ficaram, debaixo do mesmo teto, sem se dirigirem a palavra durante (quase) exato um mês. Por vezes parece ser apenas um pretexto para querer discutir, seja para descontar outra coisa que está reprimida e não consegue expor ou seja por tédio mesmo da rotina.
    O que eu mais gosto dos seus textos são as comparações, realmente, Nicolas Cage consegue fugir de um bom roteiro...
    A respeito do seu blogue, não entendo como poderá resolver o problema, o bug mais duradouro que soube do Blogger durou duas semanas.
    Apenas um toque: Na terceira parte do conto que estou escrevendo sobre aquela parada virtual, eu tenho certeza absoluta que moderei dois comentários seus na terceira parte, um junto com o da Marly e quando fui buscar o link para linkar a quarta parte e colocar no post, vi que ele desapareceu. Procurei na caixa de spam, muitos comentários vão para lá e nada. Contanto, para não parecer que foi proposital, eu respondi lá no blogue para que vejam que não o censurei (nem havia motivos para isto). O comentário dizia algo como você nunca ter se deparado com fakes e que em sua opinião quem cria fakes são adolescentes com baixa auto-estima.
    Até mais parceiro!

    ResponderExcluir
  4. Jacques, guri de Pelotas!
    Muito bom!
    O ser humano, desde o advento da publicidade, (posso dizer porque sou publicitária), em muitos casos, é mais fiel aos produtos do que aos outros seres humanos. Aqui no Brasil, creio que isso fica mais evidente nas marcas de automóveis, aliás, paixão nacional mesmo.

    Nicolas Cage hehe foi um capítulo a parte... Bem isso mesmo! Um cara no auge como ele esteve, e passou a fazer péssimas escolhas, e é o caso clássico disso.

    Abração e ótimos dias!

    ResponderExcluir
  5. Oi Jacques

    É bem assim mesmo. Você me faz rir muito. Diálogos não tão inteligentes como os seus , mas quantas vezes já presenciei á mesa indagações sobre a composição de um determinado alimento que sem mais nem menos acabam gerando discussões como se estivessem disputando quem entende mais de gastronomia ou nutrição.
    Uma linda semana
    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Meu leal amigo Jacques!

    Cara, com efeito, no que tratando-se das marcas, existe uma obsessão por grande parte das pessoas que, reduzem-se ao se preocupar com essas coisas tão supérfluas.

    Grande abraço meu amigo!

    ResponderExcluir
  7. Olá!Boa tarde!
    Jacques! Tudo bem?
    ...sabe-se que é de grande relevância que a comunicação seja sincera e honesta, é importante que os cônjuges saibam praticar a arte do ouvir, saber esperar a sua vez para falar, colocando-se no lugar do outro, ressaltando que as palavras ditas no momento da raiva têm grande influência para aquele que esta ouvindo, por isso temos que ser prudentes e tratar o cônjuge com muito amor, como se este fosse a sua eterna ... todos esses "clichês básicos", só para dizer o que NÃO aconteceu nesse INTELIGENTE e HILÁRIO diálogo/ texto seu!
    ...ah, mas parece que quando alguém lança um produto ali , aparece uma composição acolá com explicações lógicas e quase cientificas de pessoas que na verdade nunca conferiu direito, cada fabricante de um determinado tipo de produto defende este como se fosse o único possível e nenhum deles fornece informações realmente completas sobre seu verdadeiro custo benefício...
    Gostei do que li!
    Boa sexta feira!
    abraços

    ResponderExcluir
  8. Amigo Jacques,
    Quando pedíamos à minha avó um pouco de margarina, ela nos corrigia dizendo que o que ela fazia com a nata do leite era manteiga e margarina era feita de gordura vegetal, mas não queríamos nem saber disso, mas somente melar o pão. Agora que essa informação me serviu (rs).
    Olha, essa substância (D.E.A.T.H.), a esposa tem mesmo razão, pois pode leva à morte.
    Mesmo caricaturesco, o texto é o retrato da humanidade.
    Gosto de sua maneira de questionar as coisas corriqueiras brincado, uma vez que podemos perceber o quanto somos pueris.
    Parabéns pelo dom cômico!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Oi Jacques,

    Tudo bem? A questão da margarina pode servir como pretexto para a conversa se desenvolver na relação. Em alguns momentos, ganha destaque e importância para não ir para o assunto que incomoda ou serve apenas com motim para a guerra se iniciar.

    Como sempr falo, a humanidade é dúbia.

    Bom final de semana!

    Lu

    ResponderExcluir
  10. Olá Jacques,
    Imagine o susto que levei quando meu blog sumiu, nossa fiquei aborrecidíssima, comecei a andar pela casa estérica, meu marido nem sabe o que é um blog, ele trabalha demais e não é muito fã de tecnologia, só a usa porque é preciso e mesmo não entendendo direito o que aconteceu ele foi solidário, falava coisas para me animar. Convivência é isso, mesmo discutindo coisas triviais na hora que o outro precisa de apoio esta lá para isso. Vida a dois não é fácil, são duas pessoas completamente diferentes vivendo sobre o mesmo teto, mas o respeito e companheirismo tem que imperar em um lar. IDÉIAS DIFERENTES porem SENTIMENTOS IGUAIS.
    Eu divirto-me muito com seus textos, ainda bem que voltei.
    Obrigada pelo carinho e visita. Beijinhos...

    ResponderExcluir
  11. rsrsrs
    Rindo muito aqui e pensando: como voce consegue ser tão criativo heimm! rs Na escola vc era assim? quando aluno? rs

    Muuuiiito vom te ler..

    bjs

    ResponderExcluir
  12. Realmente, há marcas que ficam.... Jacques! Te encontrei no blog da Verinha, o Eternamente V&V. Gostei de teu blog e já estou te seguindo; Se quiseres retribuir me seguindo também, ficarei muito feliz! Já aproveito e te convido para o níver de 01 ano de meu blog, dia 07 de agosto, terça-feira! Li em teu comentário, lá no blog da Verinha, que não está conseguindo acessar o painel de teu blog.... Bem, em primeiro lugar, aconteceu comigo, algo parecido, daí estar comentando contigo..... Eu uso em meu blog a mesma senha do e-mail.... Tu deves ter um e-mail linkado a teu blog.... Ainda ontem aconteceu comigo, não podia entrar no e-mail e nem no blog.... Quando tentei acessar o painel do blog tinha uma mensagem dizendo que ele havia sido removido... Não me apavorei pois é a segunda vez que acontece,infelizmente, kkkk! Esta mesma mensagem me encaminhava para o e-mail, quando tentei entrar no e-mail também não consegui e mandava eu entrar no e-mail que eu havia deixado como segunda opção; fiz isso e lá dizia que o Google me enviaria um código de seis dígitos para o celular, então eu cliquei para o envio e o código veio na hora! Entrei com os tais dígitos e se abriu um campo para mim reconfigurar uma senha nova, o que me possibilitou acessar novamente tanto o painel do blog quanto o e-mail. Estou compartilhando contigo no intuito de tentar te ajudar, pois é o cúmulo acontecerem estas coisas! Espero que ajude! Qualquer coisa, tô aqui!
    Ótimo fim de semana! Abraço!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Margarina, manteiga... é tudo a mesma coisa! Só muda o gosto e a quantidade de coisas que afirmam serem capazes de te matar no futuro, hehe.
    Incrível como as pessoas perdem tempo com assuntos tão fúteis. É pior que último capítulo de novela. E ainda tem gente que briga por causa dessas coisas... vai entender.

    Outro diálogo excelente!
    Abração.

    ResponderExcluir
  14. É realmente muito interessante como somos realmente influenciáveis por um bom trabalho de publicidade, eu geralmente tenho fidelidade á algumas marcas, por já saber que daquela eu gosto, mas mesmo assim acabado tentando experimentar aquela que está frequentemente nos comerciais, o que geralmente termina em decepção...

    Achei muito interessante como você usou esta questão da margarina para abordar a crise do casal e ainda para alfinetar diversas outras questões, seus textos são sempre geniais!

    http://sublimeirrealidade.blogspot.com.br/2012/08/gosto-de-cereja_5.html

    ResponderExcluir
  15. Oi Jacques

    seus textos são verdadeiras desmistificações da seriedade que é dada à banalidades, futilidades, consumo. Enfim, como se imbeciliza o homem para fins lucrativos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oi Jacques!

    Tudo bem?

    Este geralmente é um ponto de problema entre casais: a falta de compreensão entre o que o outro diz ou pensa. Os homens são mais simplistas e distraídos, as mulheres são complexas e atentas.

    Este casal deveria ler: «Os Homens São de Marte e as Mulheres São de Vénus», de John Gray.

    Conheces?

    Gostei do post. Está muito real!

    Parabéns!

    Obrigada pela visita, pelos comentários e pelos links. Agora já posso ler as HQ's também no pc!

    Se precisares de algum livro fala comigo, pode ser que encontre.

    Um beijo,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. OLá Jacques boa noite!"

    Tudo por causa de uma margarina! Mas também poderia ser pela marca do leite, do requeijão, do sabão em pó. Mas, não foi uma briga, tao pouco uma discussão. Um diálogo bem humorado, convenhamos! Pudessem os "bate bocas" dos casais se desenrolarem assim, tão pacificamente como o do teu texto!
    Gostei demais, como sempre, Jacques, desse teu humor inteligente nos diálogos que cria!

    Linda noite de Segunda feira pra vc !

    BJossssssss

    ResponderExcluir
  18. Jacques, uma pequena escolha de produto pode gerar discussão que traz à baila aspetos totalmente distintos e, por vezes, inoportunos. É o que se observa dentro dos lares. Até mágoas guardadas podem explodir, sem qualquer significado aparente.
    Por mais que nos acostumemos a certas marcas, nada custa experimentar outra. Podemos até nos encantar com ela.
    Você colocou o diálogo com um lado cômico, sempre perfeito (rss), mas nem sempre esse é o caminho que toma uma fato desses. Vai depender do dia vivido por cada um e de seu humor momentâneo. Bjs.

    ResponderExcluir
  19. Ô meu amigo! Obrigada pelo carinho e por ter voltado! Muito obrigada pela visita ao níver do blog! Significou muito pra mim..... Em datas importantes a presença dos amigos se faz ainda mais necessária! Que o amor renovador e a Paz de Jesus Cristo habitem nossos corações sempre! Desculpe se não consigo visitar mais frequentemente.... Mas vou saltitando de blog em blog e, entre um e outro, daqui a pouco tô chegando aí..... A postagem atual, vai permanecer a semana toda, excepcionalmente, por ser a semana de aniversário do blog! Nova postagem, dia 13/08, segunda-feira!
    Uma iluminada semana! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Olá, parabéns pelo seu blog!
    Se puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
  21. Jacques,
    Essa situação é muito interessante.
    Dentro de um relacionamento, principalmente se for amoroso, esquecer a Maargarine e comprar a Margarine nunca é um engano banal.
    Esquecer o pequenino "a", na concepção dela, pode significar falta de atenção da parte dele, desrespeito por sua vontade, teimosia e muitas outras coisas...menos um simples equívoco.
    Tenho certeza de que se um desconhecido tivesse feito a troca, ela teria comido a Margarine numa boa. Rsrsrs

    Texto muito divertido, Jacques!

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  22. Olá,

    Discussões bem reais, a falta de compreensão realmente prejudica qualquer relação!

    Abçs

    ResponderExcluir
  23. Olá Jacques,

    Não é à toa que o nome de seu blog é "Relativa Seriedade"(rsrs). O questionamento é sempre importante, mas a abordagem é sempre divertida. Você é um espetáculo em criatividade.

    A margarina, no caso, é apenas um detalhe para extravasar alguma frustração, embora reconheça que muitos fazem questão de marcas e se amarram em rotinas. O novo parece difícil de ser aceito e experimentado.
    Amei esta construção: "Saber perdoar a pessoa amada por ela cometer um erro miseravelmente ínfimo, quantitativamente irrelevante, estatisticamente desprezível e sócio-culturalmente aceitável?".

    DEMAIS! Parabéns!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  24. OI JAQUES!
    QUEM JÁ NÃO PRESENCIOU UM DIÁLOGO DESTES OU QUEM SABE FOI PROTAGONISTA DE UM?
    PARECE IMPOSSÍVEL, MAS, NÃO É, USAR-SE UMA COISA "NADA A VER", COMO É O CASO DA MARGARINA,PARA ENFIM PROVOCAR UMA DISCUSSÃO, ATÉ A PESSOA PODER CHEGAR ONDE REALMENTE QUERIA...
    ABRÇS
    zilanicelia.blogspot.com.br/
    Click AQUI

    ResponderExcluir
  25. Olá bom dia com pão e margarina, e um
    cafézinho bem quente...li e gostei
    vc é bem criativo nos seus post
    Mas vale a pena ,porque só vejo coisas
    boas por aqui
    Agradeço a sua visita
    Abraços
    Rita!!!1

    ResponderExcluir
  26. jacques, querido amigo,
    houve em tempos cá em portugal um programa de humorismo com aquele que é talvez o maior humorista português de todos os tempos (herman josé) que julgo ter-se chamado "pão com margarina". não creio ter rido mais com ele do que com os teus textos (este em particular). :)

    vejo ainda abaixo da derme questões que nos levam a supor que presentemente somos verdadeiros escravos de tanto daquilo que elegemos para nos servir.

    um abraço!

    ResponderExcluir
  27. Olá Jacques,
    Venho trazer meu abraço e saber das novidades. Parabéns pela postagem; gostei muito...

    ResponderExcluir
  28. Me perdoe se não é nada disso, e eu sei que pode não ser nada disso, que nada disso tenha passado pela sua cabeça ao escrever, mas na minha subjetividade, vi nesse diálogo a famosa e odiada DR (discutir a relação), para mim é um texto repleto de alegorias, metáforas e ironias, é para se pensar mesmo.
    E como se discute assuntos totalmente inúteis e irrelevantes nessa de discutir a relação... E como não dá em nada!

    Nicholas Cage e Jack Palance, ótimas referências contextuais! rs

    Um abraço, Jacques.

    ResponderExcluir
  29. Poesia é imagem, é uma dança, onde as palavras se encontram de mãos dadas marcando o ritmo do coração do poeta... Poeta Francis Perot

    ResponderExcluir