sexta-feira, 2 de março de 2012

Para ser um Argonauta



Grécia, nos tempos da mitologia. Um homem se apresenta na fila de pretendentes a cargo da tripulação do Argos. O timoneiro da embarcação, Tífis, olha para ele e pergunta:

- Nome?

- Butes.

- Habilidade?

- Apicultor.

- Eu estou falando sério!

- Eu também! Acha que alguém mentiria sobre ser apicultor?

- Nada contra você ser apicultor, só que para fazer parte da tripulação do Argos e partir em busca do lendário Velocino de Ouro, é preciso bem mais do que saber evitar ser picado por abelhas, sabia?

- Ah, então o motivo da viagem é esse? Encontrar um Veloz Sino? Bem que me disseram que...

- É VELOCINO! Nada mais do que a pele do cabrito voador Crisómalo, dotada de poderes fantásticos!

- Sei. Acho mais fácil acreditar num Veloz Sino do que nisso aí...

- E eu acredito que é mais fácil uma quimera recitar poesia em público do que aceitarmos um domador de abelhas herege como tripulante. PRÓXIMO!

- Espere um pouco, pelo amor de Zeus, me dê uma chance. Olha só, caso tenhamos de passar pela ilha das sereias, poderemos usar a cera de minhas abelhas para taparmos os ouvidos. O que acha disso, ahn?

- Acho que sereias não existem. Isso é pura monstrologia, ora essa.

- Acho que você quis dizer mitologia. E porque não acredita em sereias, ahn?

- Porque elas nunca foram vistas antes, ora. PRÓXIMO!

- Espere aí, mas e o seu precioso Veloz... Ahn, Velocino? Por acaso já foi visto antes?

- Claro que não!

- Exatamente! O que prova que...

- Que ainda não foi encontrado e espera por nós em algum lugar longínquo! PRÓXIMO!

- Espere!  Eu posso realizar alguma outra tarefa qualquer. Sei lá, eu poderia lavar o convés ou algo assim. É que eu sempre quis conhecer novos mundos, novas civilizações. Audaciosamente indo onde nenhum Butes jamais...

- Acho que não vai dar mesmo, rapaz. Nós estamos com excesso de pessoal. Temos até um sobrinho do rei Pélias que tem a simples função de trocar a água da clepsidra.

- O relógio de água? E porque vocês precisam marcar o tempo?

- Para saber a hora de trocar a água da clepsidra. Sinto muito, mas você não poderá partir com o Argo em busca do inalcançável Velocino...

- Se é inalcançável o que você e os demais Argonautas estão fazendo aqui, então? 
  
- Bem, nós... Nós... SENHOR ARGOS!

- Estou aqui do seu lado, Tífis. Não precisa gritar, homem. E eu ouvi a estranha conversa de vocês dois.

- Ainda bem, senhor. Vê se o senhor consegue entender o que esse sujeito quer, por favor. Ele está 
começando a me dar dor de cabeça.

- Qual é o problema, rapaz? Nada a ver com um M.O.T.I.M., espero.

- M.O.T.I.M.? O que é isso?

- É a palavra formada pelas iniciais de Marinheiros Organizados Tramando Imprevisíveis Maldades, que, como fica muito grande, eu resolvi criar o termo M.O.T.I.M..

- Ah, entendi. E o senhor tem medo disso, não, senhor?

- Bem... Mais ou menos... É que já ouvi relatos perturbadores sobre o assunto. E a única coisa que eu temo realmente é que o Argos venha a cair pela Borda do Mundo...

- Isso se ela existir, não?

- TÁ VENDO? TÁ VENDO? Olha só o que ele faz! E na maior calma! Herege questionador de tudo... Esse sujeito traz maus agouros, senhor. Deveríamos levá-lo conosco só para o jogarmos no monstro Charibdys, só para ele aprender o...

- Isso SE este monstro existir, não? He, he.

- AAAAHHH! EU VOU...

- Calma, Tífis. Mas me diga, Butes, porque acha que a Borda do Mundo pode não existir?

- Porque o mundo não precisa necessariamente ser chato, senhor. Ele pode ser cúbico, como uma caixa, desta forma, nenhum navio despencaria dele, apenas sairia do campo de visão dos demais, mas continuaria a navegar tranquilamente, quer dizer, se os deuses assim permitirem.  

- Hmm... Interessante essa sua forma de pensar, Butes.

- Obrigado senhor Argos. É que como apicultor, sempre me perguntei como as abelhas, que são aparentemente desprovidas de raciocínio, conseguem construir colméias tão complexas e fabricar mel sem ninguém para ensinar isso a elas. Daí eu comecei a questionar todo o resto.

- Entendo.

- Eu chamo isso de Questionologia, senhor. A arte de questionar o mundo e considerar todos os caminhos a serem percorridos em busca da Razão. Embora esteja começando a acha que Filosofia é um termo mais adequado.

- Acho que vou levá-lo nesta viagem para que me ajude, literal e figurativamente, a mudar minha visão de mundo. Isso e me ajudar a impedir que os marinheiros joguem Orfeu ao mar devido à sua cantoria em horas inapropriadas e me avisar caso surja um M.O.T.I.M..

- Tudo bem , então. O problema vai ser se EU começar um, não? He, He.

- O QUÊ? Não brinque que isso é sério, sabia?

- Ás vezes, brincar com algo sério é a única coisa que podemos fazer a respeito dela, senhor.

- Verdade, Butes. Verdade.  Mas diga-me, porque você acredita em sereias, mas não acredita no Velocino, ahn?

- Medio tutissumis ibis, senhor
.
- O quê?

- É latim, senhor, e significa “irás com mais segurança pelo meio ”. Quer dizer que tem horas em que devemos ouvir a razão e, em outras, o coração.

- Ah, isso. Concordo, mas não deixe os homens ouvirem você falando gíria perto deles, ou irão quere jogá-lo na Borda do Mundo.

- Isso SE ela existir, senhor.

- Sim, Butes, SE ela existir...

27 comentários:

  1. Muito bom Jacques! Melhor ainda é ver que o amigo está de volta e com suas publicações sabias, inteligentes e muito bem sacadas, o que só enriquece a blogosfera. Seja bem-vindo novamente meu amigo. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, Jacques.

    Sempre nos fascinando com belos enredos.

    Da mitologia à filosofia.

    Descontrai e faz refletir... Sem MOTIM, embora com justos questionamentos. rs

    Vale uma vaga de Argonauta. rs

    Que boa sua volta!

    Abs.

    ResponderExcluir
  3. Jacques, vc é óóótimo! Poxa, esse Butes é um questionador voraz, heim? Aff... mas, a culpa não é dele... hahhahah... afinal, o cabra lá se contradisse totalmente, oras bolas. Abriu espaço, o Butes se aproveitou da situação.

    Faz todo sentido a questão de afinidade que vc citou, entre os "motoristas reizinhos mandões" e o cavalo chucro... tudo a ver! É de fato uma questão de educação... coisa de berço, né Jacques? Ahhh, que dá vontade de descer da moto/carro e armar o tal barraco, ahhhh dá mesmo... Mas, a gente sabe que é melhor evitar. Nem tudo acaba bem, como nas novelas. Então o lance é se controlar, né?

    Eu preciso de minha condução... pois o péssimo transporte público daqui é um inferno! Ninguém merece...

    hahahahahahaha... eu gostei do Dr.! Gostei tantão mesmo... ele tem uma super personalidade. Já o Woody, bem, eu ia acrescentar lá no texto que ele é um chatolino antipático. É visível! Mas, acho-o bom. Alguns filmes dele eu gosto muitão, já outros nem tanto. Nunca li nenhum livro dele! O.o ...

    kkkkkkkkkkkkkkk... as pontas duplas de seus cabelos compridos eram verdadeiros "aliens a ressureição". Que isso, rapá!? hahahahha

    Bom, então involuntariamente eu lhe dei uma dica de postagem? Já estou curiosa pra ver "de qual que será"... rsrs

    Ah, fui correndo conferir o blogue da sua amiga Dani. Gostei... ela correu lá em meu blogue, responder seu comentário. rsrsrs

    bjks

    ResponderExcluir
  4. Oi Jacques,


    Adorei o inteligente texto! Você conseguiu reunir mitologia, ironia e realidade ao mesmo tempo. Penso no apocalipse moderno cheio de Ofélias, Teseus, Minotauros e tantos outros, que talvez lá fosse mais fácil ficar na antiguidade.

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
  5. viva, jacques,
    que maravilha ter-te de volta. a inteligência e a ironia da tua escrita são iguarias finíssimas para o espírito.
    esta demanda pelo velo de ouro que, como todos os axiomas, se faz inquestionável, é uma delícia; a argumentação, por mais simples que pareça, é a melhor forma de derrubar todos os exércitos. bravo!
    pontos altos: a sigla M.O.T.I.M. e a transformação de orfeu em cacofonix, ou chatotorix, ou assurancetourix (consoante as traduções) :)

    um abraço!

    ResponderExcluir
  6. "Brincar com algo sério é a única coisa que podemos fazer a respeito dela". Butes, o pai da pirataria. ( usurpador do motim e criador dos butins)

    "Zombar da filosofia é verdadeiramente filosofar". Pascal, o plagiador!

    Muito bom, Jaques da Macedônia! Audaciosamente questionando a mitologia como nunca antes na história deste...mundo chato! ( geograficamente e, atualmente, comportamental também)

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom, SE foi você mesmo que escreveu está de parabéns! Ou não?
    hauahuhauahuahuahuahuahu

    ResponderExcluir
  8. Olá Jacques, tudo bom?
    Ah esse texto eu gostei....já aprecio mitologia grega e ainda coloca esse humor bem feito! Parabéns!
    Quanto tempo que vc não aparecia no meu blog hein? Achei que tinha sumido pra sempre u.u Não faça mais isso!
    Sobre Scooby Do, é memso! Lembro que no seriado antigo ás v ezes apareciam outros personagens da Hanna Barbera...achava bem legal esses "crossovers'. Lembro que a Disney fez isso na série de Alladin e Hércules certa vez. Uma idéia deveras bacana e que despertava interesse. Recentemente em termos de mangá, o grupo Clamp criou uma série onde os personagens se encontram com os personagens das outras séries do grupo em uma espécie de mundos paralelos.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. E aí Jacques!

    Adorei seu conto! Marinheiros Organizados Tramando Imprevisíveis Maldades (M.O.T.I.M) rsrsrs. Muito bem bolado!

    Além de questionador, o personagem Butes é muito sábio assim como a sua estória, parabéns!

    Estou seguindo-te! Grande Abraço!

    Anselmo

    brevescronicas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Jaques,
    Gostei do seu texto onde há mescla de realidade, mitologia e um dedinho de ironia, o que faz o texto encantador!
    Obrigada pela visita, comentário e por seguir-me, faço o mesmo.
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
  11. Por um acaso visitando um blog amigo encontrei o seu, vim visitar e gostei muito! Estou te seguindo e aproveito pra te convidar a conhecer o meu também :) E se gostar, me siga de volta.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  12. Muitas vezes, a única forma de se conseguir um lugar onde não nos deixam entrar é fazer sábios questionamentos. Não se vence pelo cansaço, mas pela sabedoria e pelo bom humor. Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Olá Jacques! Bom humor e perspicácia. Você é ótimo. Meu abraço!

    ResponderExcluir
  14. Impecável e "gostoso de ler", esse texto é uma obra tua, mereces um Oscar; ah, estou falando sério, cara! Adorei!
    Estava com vontade de ler algo diferente, então sei q tu escreves melhor que qualquer autor da Globo; "o mundo não precisa ser necessariamente chato", e convences...não deixa de ser uma lição para todos nós. Nunca devemos desistir, "nada é impossível, se desejarmos, e com muita persistência, pois o Universo conspira a nosso favor, nos dá a maior força.
    ótimo dia! bjusss

    ResponderExcluir
  15. Oi, grande amigo Jacques!
    Seus textos nos divertem e nos ensinam muito.
    Sua versão dos Argonautas ficou mais filosófica do que mitológica.
    A seriedade pode ser relativa, mas o humor e a sabedoria são absolutos.
    Sou fascinado por mitologia e aqui a vejo de uma forma inteligente e saborosa.

    Parabéns pela criatividade!

    Abraços do amigo!

    ResponderExcluir
  16. Olá, Jacques!
    Eu já tinha passado pelo seu blog antes, mas não me lembro se cheguei a comentar. Minha memória adora me deixar na mão, mas enfim...

    Gostei muito do texto, é impressionante como você coloca coisas sérias e como consegue ensinar num texto divertido.
    Dá pra notar que você é um cara muito inteligente, porque transparece na sua maneira de escrever.

    Esses dias li um texto num blog (que pra variar, eu não me lembro qual foi) e acho que era seu, o título era "C.S.I RJ", é muito bom também, ri pra caramba! :)

    Beijocas!

    Ismália .

    ResponderExcluir
  17. Jacques!
    Oooooo... voltou da abdução amigo? Ou é algum marciano, etc... no teu lugar? rsrs
    Falei com o Fábio Uchoa, espero que esteja tudo bem agora.
    Tu fez uma falta, Jacques! A tua criatividade impar somada a todo teu conhecimento, e olha que te procurei... por e-mail etc...

    Voltou a 1000, com um texto muito bom!
    O "MOTIM" foi maravilhoso! E a tua ironia autêntica, deixou os seres mitológicos pensando também se não era melhor que os marcianos tivessem mesmo te abduzido (será que é assim que se escreve?) Estou no meu primeiro dia de volta, e ainda voando numa nave, também! :)

    Beijão e valeu!
    Vê se não foge de novo, tá bom?

    ResponderExcluir
  18. Oi Jacques,
    reparei por lá um esquecimento e coloquei teu nome como um dos leitores da crônica.... rrrrr... hoje estou no meu dia Barbie pateta! rsrs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Oi Jacques!

    Que maravilha, sempre me divirto lendo suas postagem.
    Você é demais filosofando.
    A mitologia sempre me deixa curiosa kkk.
    Agora, termo M.O.T.I.M me fez rir muito.
    Abraço amigo!

    ResponderExcluir
  20. Jacques, eu de novo!
    Overdose se Ana Cecília rsrs
    Obrigada pelo comentário lá na parceria minha com o Jaime, se quiser, por curiosidade, ver a parceria que fiz com o Jorge Pimenta, te passo o link:

    http://viagensdeluzesombra.blogspot.com/2012/01/noticias-do-tempo.html#comment-form

    Abração!

    ResponderExcluir
  21. Olá Jaccques, espero que desta vez meu comentário chegue.
    É irônico, mas eu me vi um pouco neste seu personagem, quando eu pego para questionar alguma coisa, reconheço que sou insuportável. Os religiosos que estiveram tentando "me evangelizar" que o digam. ahah.
    Eu leio tudo e busco contradições em tudo, talvez por eu mesmo ser contraditório e por um lado acho isto positivo. Questionar nem sempre nos leva as respostas que desejamos, contudo, pior é quem não questiona nada.
    "Ás vezes, brincar com algo sério é a única coisa que podemos fazer a respeito dela, senhor."
    Realmente, por vezes é a única saída que encontramos na vida.
    Agradeço os comentários em meus posts, e quanto ao último, não poderia concordar tanto. Realmente, este "fervor religioso" que está assolando nosso país só nos fará andar para trás, não somente nos direitos das mulheres, acredito que em geral.
    Muito bom o seu blogue, passo a segui-lo.

    PS: Você poderia facilitar e retirar a verificação de palavras. Apenas uma sugestão.

    ResponderExcluir
  22. Jacques, sim, eu de novo! rsrs
    vim rapidinho avisar que ficarei alguns dias sem internet, retornarei com conexão na terça-feira, tá bom? caso tu mudes de postagem!
    Abração, querido amigo pelotense!!!

    ResponderExcluir
  23. Que maravilha te ter de volta Jacques!

    De volta seus textos inteligentes, geniais. Filosofia, ironia e questionamentos em uma mistura saborosa que só você consegue preparar e nos servir.

    E, argumentando o Butes conseguiu a viagem.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  24. Fantástico Jacques, suas adaptções são muito ricas em detalhes. Estou fascinado pelo modo como trabalha as palavras....é nota 1000...valeu por nos permitir lêr tão interessantes interpretações mitologicas. O Brasil precisa de mais professores assim.
    Obrigado,
    Leandro CHH

    ResponderExcluir
  25. Jacques bom dia!
    Obrigada pelas visitas que eu adoro (aliás todo blogueiro adora né?)
    Quanto ao branco do texto, eu faço com uma canetinha no próprio lugar da postagem. Antes eu deixava sem, mas uma pessoa irritada por nao conseguir ler bem, escreveu mais ou menos assim: Guria, tenha esse seu mosaico de todos do fundo da tela pq está atrapalhando a leitura!" Então eu tirei e as pessoas que leram o comentário foram contra e pediram pra eu voltar o mosaico pq ele nao atrapalhava em nada e que ela fez uma imposição que nao era necessária. Voltei o mosaico, mas sublinho com caneta o texto para as minhas caras não atrapalhar a leitura.
    Mas obrigada por se preocupar, eu também gostava mais sem a caneta (eu aparecia mais kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk)
    Beijokas doces e uma boa semana

    ResponderExcluir
  26. tenha= tira (meus dedos louquinhos escrevem errado)

    ResponderExcluir
  27. Adorei.
    Deixo apenas um reparo, no tempo dos primeiros gregos ainda não havia latim.

    Abraço

    ResponderExcluir