sábado, 12 de novembro de 2011

Super gato




MIAOWWWWW!

- Querido!

- Hein, o que foi, amor?

- Como assim o que foi? O Gato está miando no telhado de novo!

- Deixa pra lá, amor. É coisa de gato, aliás, do Gato. É o que eles fazem.

- Ah, é. O bichano é tão esnobe que não tem nem nome. E é isso o que eles fazem além de comer, dormir, esnobar comida e olhar horas e horas para o Nada, que é coisa de quem não tem nada o que fazer. Isso e berrar como as trombetas do Apocalipse quando a gente senta em cima dele no sofá...

- Quando VOCÊ senta em cima dele. Porque fez isso, hein? Pobre bichinho inocente. Todo ser vivo tem sua razão de ser, sabia?

- Sim. E a razão de ser desse bichano é nos privar de nossa própria razão, com esta barulheira? Até parece. E bicho inocente não aparece do nada enquanto você vai se sentar e não fica olhando pra gente daquele jeito...

- Assustador?

- Sim. Tão ou mais assustador do que você lendo meus...

- Pensamentos?

- AAHH! Para com isso! No início isso de você saber o que eu estou pensando era divertido, mas atualmente... Mesma coisa esse Gato. Engraçadinho no início e agora...

MIAOWWWWW!

- VIU SÓ? Ele fez de propósito! Só para me interrom...

MIAOWWWWW!

- AAHHH! Ele fez de novo, viu? Nossa. Que assustador. É como naquele filme “O Ataque dos Vermes Malditos”, na cena em que o pessoal está em cima da pedra e o monstro está embaixo da areia, só esperando para...

- Para o quê?

- Eu fiz essa pequena pausa porque achava que ele iria me interromper, mas ele não o fez. Acho que...

MIAOWWWWW!

- AAAAHHHH! Ele fez de novo! E conseguiu me surpreender. Caramba. Ele é bom. E deve estar usando algum... Sei lá... Poder de gato...

- Ah tá. Então quer dizer que garras retráteis, visão noturna e modo silencioso podem ser considerados “poderes”?

- SIM!  E, no incidente do sofá, ele pode ter aparecido lá por supervelocidade ou teleporte...

- Teleporte? Sumir em um lugar e reaparecer em outro? Aí já é demais né, querida?

- Mesmo? Quantas vezes já não te aconteceu de você procurar por um gato por tudo que é lugar, e no exato momento em que você desiste, onde é que ele aparece?

- Nos nossos pés. Surgindo do nada como um fiscal de trânsito em um dia de calor insuportável. Aahh... Não pode ser coincidência. O que você vai fazer?

- Sei lá. Jogar alguma coisa nele. Talvez aquele livro do Lair Ribeiro mesmo, que você ganhou de presente da tua irmã. Finalmente ele serviria pra alguma coisa. Mas isso pode irritá-lo mais.

MIAOWWWWW!

- Olha aí, querida. Acho melhor você admitir que errou com ele. Para o bem dos nossos ouvidos.

- Bem... Na noite do incidente, eu estava concentrada assistindo ao último capítulo de uma de minhas novelas preferidas, sobre um mestre cuca tímido que não conseguia expressar seu amor pela gerente do restaurante da concorrência. Acho que, talvez, eu possa ter me distraído e, sem querer, quase tê-lo esmagado. 
    
- Aahhh... Eu lembro dessa novela! Era uma produção Brasil-Itália, não era? Como era mesmo o nome? 
 
- Era Amor D’ Assado! Uma novela clássica e...

- E o quê, querida?

- Ele parou.  A sirene felina senciente virtualmente ininterrupta parou. Não é ótimo? A Ordem voltou ao Universo. A Paz. A Natureza novamente em equilíbrio com as forças fundamentais do Cosmo. 

- Sim. E pode ter sido coincidência o Gato ter parado de fazer barulho, como quando nos conhecemos. Meu carro era o único no estacionamento gigantesco do shoping e você conseguiu bater nele mesmo assim. Um professor de estatística iria ter um troço se tentasse calcular a chance disso ocorrer.

- Eu não teria batido nele se você não tivesse estacionado lá, espertinho.

- Hmm... Pelo menos dá pra ter certeza que um poder esse gato tem.

- É? E qual seria ele?

- O de fazer você admitir que errou, amor...

26 comentários:

  1. ;)
    Vc é imbatível em diálogos, né não?!

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que texto bacana! Achei bem engraçado. Tenho dois gatos, então histórias que envolvem esses bichanos são sempre bem vindas. Eles parecem ter mesmo alguns dons surpreendentes e também dão nos nervos quando começam sua cantoria noturna.
    Foi a primeira vez que vim aqui e gostei. Bom feriado!

    ResponderExcluir
  3. "Nós gatos já nascemos pobres, porem, já nascemos livres. Felinos, não reconhecerás."

    Esse bicho escapa da nossa vontade de poder. Acho que é por isso que são menos admirados do que os cães, os bonzinhos chantagistas. rsrs

    Maravilha de crônica, Jacques. Abraços. Paz e bem..

    ResponderExcluir
  4. Oi,Jacques!
    Seu texto é uma boa sátira à maneira dos humanos tratarem os aminais domésticos melhor que as pessoas.
    Não é à toa que quando queremos chamar alguém de preguiçoso o xingamos de "gato de hotel".

    Garfield é um bom exemplo de gato come-e-dorme.

    Gosto de sua visão da questão grotesca hominal.

    Eu me diverti muito com a utilização do livro de Lair Ribeiro.

    Vir aqui é uma catarse sempre!

    Parabéns pela perspicácia!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Jacques, muito boa, essa, viu. Sensacional! Como disse o nosso amigo Bento, acima e que também concordo é uma sátira aos que cometem maus tratos com os animais. Parabéns, mais uma vez meu amigo. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  6. hahaha...o poder do gato me fez rir pacas..Tem umas postagens de gatos la na blogosfera com a Ana,e a Jane...se curte o assunto elas vão adorar.

    abraço Jaques e obrigado pelas visitas !

    ResponderExcluir
  7. Eu concordo com ela! gatos tem super poderes e são os vilões sempre!

    ResponderExcluir
  8. Jacques, tudo bem amigo?
    Muito boa a sátira!

    Esses felinos...
    acho que o gato queria avisar algo, aliás, não acho, tenho certeza! Escutei daqui, nem te conto menino o que ele me disse ...

    Abração, amigo! Sempre muito bom!

    PS.: Passamos muito tarde por Pelotas, na volta ligo pra ti, se der, deu; se não der, não deu!

    ResponderExcluir
  9. rsrsrsrs

    um gato terapeuta, que faz um casal conversar e até admitir certas falhas, esse gato é precioso.

    Um beijo Jacques!

    ResponderExcluir
  10. Olá, bom domingo.
    Que post gostoso de ler*!
    Muito legal o diálogo sobre o bichinho, ele nem sabia que era assunto para um casal lembrar-se de certas coisas que foram tão boas*(?)... Coincidência, não, é o destino nosso.
    Me deu até vontade de ter um bichano miando no meu apê, mas já tenho a companhia da minha cadelinha linda. Ela tá sempre no meu pé e não me deixa só...

    Amei de verdade o post, valeu e agradeço por partilhar conosco esse relato tão interessante, és muito bom em scripts", podias tentar escrever para o teatro ou Tv, levas jeito*.
    Vemos diálogos tão insossos nas novelas!
    Até e
    beijo da Mery*... me visita, se puderes, queria saber a tua opinião sobre o post que escrevi ontem, é bem polêmico.

    ResponderExcluir
  11. Eles são vilões porque são do mal, quando você menos espera ele faz cara de "te desprezo" e é capaz de arranhar a cara de qualquer um. Não confio nesses bichinhos. O.o

    E você odeia Ellen Page! Coitada dela. hahahaha

    ResponderExcluir
  12. Oi Jacques

    acabei de postar um pensamento seu, digo do mestre. Espero que não se importe.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  13. Jacques
    O gato do seu maravilhoso texto tem muitas qualidades louváveis. Trouxe recordações, provocou manifestação de sentimentos e até confissões.
    No fundo, ele nem queria participar da conversa, mas se tornou parte inseparável dela.
    O livro, poderia ser jogado, não faria falta (kkk).
    Parabéns, mais uma vez!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Oi Jacques, estava lendo seu dialogo e pensando como você é bom no que faz meu amigo, e esse gato tem muitas qualidades... Muito boa essa sátira, é mostra muito bem que o gato é um animal esperto por demais. Parabéns ! Bjs e ótimo feriado!

    ResponderExcluir
  15. hahahahahah Ameiii o dialogo! Fiquei na gastura, querendo saber o que viria a seguir... sou muito afobada! kkkkk
    Adoro gatoss! owwwnnn... temos um super gato, lindo e arisco, aqui em casa! Ele se chama mequetrefe e é a mistura de uma persa com o siamês! Chama-se mequetrefe pq era o único que não tinha a pompa da mãe, persa. Mas, no final, foi o que ficou mais lindão... parece o garfield... hehehe Foi um prazer visitar seu blog! bj ;)

    ResponderExcluir
  16. Ei, Jacques, não foi à toa que o Bukowski no fim de sua vida era cercado de gatos e gostava deles porque os bichanos "têm estilo".

    "Quantas vezes já não te aconteceu de você procurar por um gato por tudo que é lugar, e no exato momento em que você desiste, onde é que ele aparece?"

    No caso de Edgar Allan Poe, aparece atrás da parede onde jazia a esposa... rapaz, quando se fala em gatos eu lembro de um monte de coisas: além do conto do Poe, também lembro da música "Lucifer Sam" do Floyd (Barret), do Fritz, do Felix e do Tom...ah, e tem o Garfield, né? E lembro do meu avô espantando os gatos e de umas traquinagens na infância pra ver se o bicho caía de pé.

    Sempre tem um bichano presente em nossas vidas, né? Mas eu sempre preferi os cães rs

    Abraço, rapaz!

    ResponderExcluir
  17. Gatos não tem super poderes e nem são do mal, malignos, Ou coisa parecida.
    Essa senhorita (La)ize que deve ter parte com algo ruim... meus Deus e eu ainda acho que existe pessoas sensatas!! Mal mesmo é o bicho homem, que mata pra não comer e faz sofrer sem ter por que!!

    ResponderExcluir
  18. Oi Jacques!

    Excelentes diálogos...e sim, também acho que os gatos possuem algum poder paranormal 0_0 Mas são bons animais, adoro eles!
    E o nome da novela é ótimo!
    Poxa, então Pelotas já teve seu ZW? É legal porque outras cidades de SP fazem o evento, muito embora não cheguem a ser tão imensas quanto o de SP.
    Sobre Walking Dead eu ainda não assisti a série acredita? Está na minha lista, preciso arranjar tempo.
    Porque vc não vai nos eventos otakus? É divertido!
    bjs

    ResponderExcluir
  19. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  20. JACQUES, olá! Por aqui tudo às mil maravilhas, ainda mais depois de um longo feriado... tudo se tornam flores, né!? rsrsrs
    Ah, às vezes eu me esqueço que estou falando com pessoas de outros estados e solto essas “gírias regionais” (a verdade é que tenho mais gírias regionais que vc possa imaginar, pois, da infância até a adolescência minha família se mudou pra caramba – até hj fico me perguntamos se não temos “veia cigana”... rs... – então conheço gírias do nordeste, sul, centro-oeste e norte, o que acabou se tornando parte de meu linguajar... kkkkkk... qualquer coisa a gente vai construindo um glossário por aqui!!! hahahahah)... sim, gastura quer dizer isso mesmo, aflição, agonia... rs... por aí!
    Prefiro gato... já tive cachorro, na infância e ele morreu de uma forma muito traumática, para mim. Teve uma doença e não sobreviveu. Depois disso, meu irmão caçula teve outros cachorrinhos, mas, eu não consegui me apegar a nenhum deles, como ao Rabito. Ah, tem o fato de que tbem acho gatos mais fáceis de lidar. Eles são totalmente independentes e só chegam em vc qdo querem. Cachorro é sempre mais “carente”! rsrsrs Tbem tem a questão de eu morar em apartamento e acho uma judiação ter um cachorro em um espaço tão pequeno, afinal, eles são tão serelepes e espaçosos. Rsrsrs ...
    Olha só, sobre as tatuagens, concordo plenamente com vc. Por isso demorei bastante tempo para fazer. Hoje eu sei que carregarei minhas tatuagens para sempre, sem arrependimento. E, ainda virão outras mais... o.O heehehehe
    Poxa, adorei o grupo que vc me indicou(Blogosfera no FaceBook), dei uma “espiada” e gostei demais! Adoro esse mundo virtual e o facebook é, digamos, minha segunda casa! Mandei o pedido para ingressar ao grupo... agora é só aguardar a aceitação!
    Qto ao seriado American Horror Story, vou confessar que inicialmente eu fiquei com os dois pés atrás... como eu disse, estava esperando algo lugar comum, por ter me decepcionado muito, ultimamente. Mas, me surpreendi. Sou fã de horror e acho que A.H.S. tem conseguido superar minhas expectativas. Mas, numa coisa concordo com seu amigo, me preocupo se eles terão tanto assunto para um seriado mais longo. Pra mim, ficará saturado em apenas uma temporada! Vamos ver até quando isso vai... até lá, vou curtindo a primeira temporada! Hehe
    Fiquei muito feliz com sua visita e sua participação em meu blog... Volte sempre!!! bjks

    ResponderExcluir
  21. Olha eu aqui DE NOVO!! A mente vai fervilhando, aí não dou conta de parar! Então, respondendo seu ultimo comentário lá no blog, olha só, o seriado que citei por lá seriado, apesar de ter super hiper mega gente pelada, não vejo como algo apelativo! Para alguns posso soar um tanto depravada, mas eu gosto muito disso, inclusive das cenas de sexo! Aliás, aproveitando uma coisa que vc falou, Game of Thrones é, digamos, fichinha no quesito nudez e sexo, perto de Spartacus. ADORO game of thrones e me senti tão deprimida qdo terminou a temporada! Gosto tanto que comprei os livros.
    Vc falou sobre enrolação desnecessária e é justamente uma coisa que gostei nesse seriado. Digamos que, apesar de haver uma ordem entre os episódios, o roteiro não se mostra repetitivo, nem cansativo. Pelo menos até agora, pois parei no ep. 6. Eu acompanhei House(como eu adoro aquele cínico! RS... ele tem um humor negro que me conquistou!!!) durante 5 temporadas e gostava demais, porém, confesso, passei a não ter mais paciência para assistir e então parei. CSI está no mesmo estilo. Assisti até a oitava temporada e interrompi as assistidas tbem. Hoje acompanho Criminal Minds(gosto muitoooo... está em minha top list), Law & Order(SVU), The Walking Dead, American Horror Story e agora, Spartacus. Caraca, me senti uma a toa agora! Hahahah... e olha que sou professora, ou seja, trabalho pra dedéu! Kkkkkk Mas, cheguei a conclusão de que preciso achar tempo para meus prazeres... :D bjs

    ResponderExcluir
  22. E ai Jacques, como vai?
    Com "Relativa Seriedade", existem crenças que afirmam que todos os felinos podem vêr o mundo fisico e o mundo espiritual onde reina anjos e demônios ou almas, como queiram. Eu particularmente acredito que são muito bons observadores e capazes de malabarismo dignos de troféus, mas que as vezes parece que estão vendo algo que não vemos parece!!!
    Ps.Sempre tive gatos, gosto dos bichanos são bons amigos...
    Valeu amigo. Ah não tem nenhum problema você ser evolucinista, pois respeito a opinião pessoal de meus amigos online ou offline. O bom é a diversidade assim não temos guerras e essas coisas horríveis feitas em nome de Deus ou do Dinheiro.
    Abraço,
    Leandro CHH

    ResponderExcluir
  23. Jacques,
    obrigada pelas palavras e o carinho lá no Humoremconto!
    Grande abraço, amigo!

    ResponderExcluir
  24. Pois pra mim não há criatura mais verdadeira e ao mesmo tempo mais dissimulada que gatos... Mas eu tenho o poder de saber quando estão sendo sinceros, já que sou uma felina de alma...

    Ótima historia!
    *-*

    ResponderExcluir
  25. Olá Jacques! Que belo texto, adoro gatos, eles sempre me trazem mistérios e sorrisos. Felinos, smp elegantes e intrigantes!

    ResponderExcluir
  26. Olá Jacques!

    Vim ler-te :)
    Adorei a história do Super Gato. Não sei se já leste alguma coisa, mas tenho um gato e o seu nome é Freddie Henriques, que para mim é como um filho. Eu acho que os gatos são seres especiais e possuem dons espirituais, poderes mediúnicos. Dizem que os gatos conseguem ver espíritos e que têm o dom da cura, sinceramente, penso que possa ser verdade. Observando e convivendo com o meu, percebo isso.

    Noite feliz para ti!

    Beijos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir